Youtube Deezer Spotify Google Play

Um dia um homem chamado Calebe resolveu tomar posse de algo que Deus lhe havia revelado: enfrentou as circunstâncias, as dificuldades e, confiante nas promessas de Deus, conquistou uma terra que lhe havia sido prometida. Assim ocorreu também com um homem chamado Ezequiel Teixeira.
Movido por uma revelação que fluía do coração de Deus, o pastor chegou a ouvir um coral de santos entoando louvores num galpão de Irajá que fora sede de um clube de pagode. Afrontado por legalistas e incrédulos conservadores, permaneceu crendo no que Deus lhe havia revelado. Assim começou a construir o Projeto Vida Nova de Irajá, um celeiro de obreiros do Reino de Deus que em dez anos de existência já se difundiu em vários pontos do Brasil e do mundo.
No ano de 1987 para o ano de 1988, os pastores Ezequiel Teixeira, Isael Teixeira e Carlos Alberto Pereira desenvolveram cultos evangelísticos na sede da ABI – Associação Brasileira de Imprensa – situada no Centro do Rio de Janeiro. Os cultos eram interdenominacionais, com um propósito expressamente evangelístico, e mas não estabelecia exatamente uma igreja no sentido de constituir uma membresia . Paralelo a esses cultos, havia um programa de rádio, e um trabalho de visitação constante a presídios, favelas, instituições de menores carentes, etc. Após um tempo, as reuniões passaram a se realizar também no Educandário Cruzeiro do Sul, em Duque de Caxias. O trabalho gerava muitos frutos, e os filhos gerados acabavam procurando igrejas para se filiar onde a visão não se identificava com aquela proposta nos cultos da ABI onde suas vidas foram alcançadas. Surgiu assim a idéia de fundar a Associação Missionária Vida Nova, com uma visão contextualizada, dinâmica e estratégica. O Pastor João Teixeira – pai do Pastor Ezequiel – e seu filho Isael Teixeira, ainda como pastores da Assembléia de Deus, deram total apoio à criação da Associação, cuja fundação data de 5 de março de 1989.
Mas as lutas do pastor Ezequiel – hoje nacional e internacionalmente reconhecido por seu ministério – em seus primeiros dias foram dignas das batalhas de Gideão no Antigo Testamento. Desafiado por antagonistas que previam o seu engano, ele começou o seu trabalho distribuindo folhetos nas ruas de Irajá junto à sua esposa, a pastora Márcia, para os cultos e reuniões realizados no terraço da casa do maestro Zênio Alencar, então regente de um dos mais famosos corais da cidade, o coral Renascer, da Assembléia de Deus da Penha e pai da pastora. O sonho de Deus foi sendo realizado passo a passo, seguindo as instruções do Espírito Santo, e hoje o Projeto Vida Nova é a realidade que todos conhecem, com um imenso séqüito de fiéis e a marca registrada da ousadia e do caráter profético em todas as suas atividades.
As reuniões começaram a crescer, a ganhar expressão. Sinais e prodígios eram realizados por Deus, e a obra parecia expandir em cada culto as suas dimensões. Havia a necessidade de se adquirir um templo. Na Avenida Monsenhor Félix, um enorme galpão conhecido por sediar o pagode mais famoso do bairro ficou disponível, e onde abundava o pecado superabundou a graça.
O imóvel, localizado no número 602, foi adquirido e passou a ser a sede do Projeto Vida Nova de Irajá – e já esse nome era estratégico, sem uma alusão religiosa muito clara, utilizando o mesmo título do programa realizado no rádio. Adquirida em outubro de 1989, a sede da igreja teve sua inauguração em novembro do mesmo ano.
LOUVOR PROFÉTICO
A partir dali, Deus foi acrescentando mais e mais à visão inicial. O Ministério de Música do Projeto Vida Nova foi um dos instrumentos mais utilizados por Deus para uma renovação do conceito de louvor e adoração, e ajudou a propagar a igreja por todo o país. A igreja foi crescendo cada vez mais e tornou-se uma denominação respeitada e reconhecida. Num acampamento da juventude, veio a revelação específica onde o Espírito Santo determinou o caráter da igreja: uma igreja ousada, aguerrida, chamada para atuar com autoridade profética… uma igreja com cara de leão. A partir daquele momento, esse caráter passou a ser a marca registrada e o slogan dos projetistas.
Inspirada pelo Espírito Santo, a visão de Deus para o Projeto Vida Nova era de um louvor sem limites, sem barreiras, expressando abertamente a adoração e a liberdade que os filhos de Deus têm para cantar ao seu Rei. Para isso, Deus convocou homens e mulheres com a mesma visão, que, liderados pelo ministro de música Moysés Malafaia (hoje um dos pastores projetistas), iniciaram uma autêntica obra de reavaliação da música na igreja. “Nunca tivemos a pretensão de mudarmos os rumos da música na igreja ou qualquer outra coisa semelhante. O que aconteceu, aconteceu espontaneamente, apenas obedecemos a direção do Espírito Santo e Ele nos conduziu a um modelo de música profética.” – afirma o Pr. Moysés. De um jeito ou de outro, essa música tem atraído milhares de pessoas para conhecerem o poder de Deus.

Discografia