Cadastre-se na Oni News Assine nosso RSS

Som que Alimenta

21

SOM QUE ALIMENTA

Vivemos em um mundo cada vez mais perdido e afastado de Deus, onde os valores e princípios por consequência estão cada vez mais distantes dos ensinamentos da Sua palavra. Diariamente somos bombardeados com esse estilo de vida mundano, que tenta nos impor comportamentos centralizados no ‘eu’, no ‘prazer’ e ‘sucesso’ a qualquer preço. Podemos viver nesse mundo e mesmo assim sermos livres do seu mal. Essa foi uma oração de Jesus: “não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (João 17:15-17).

Somos cidadãos de um outro reino, o Reino de Deus que foi muito bem definido por Paulo como sendo um “reino de justiça, paz e alegria” (Rm:14:17). O nosso desafio diário como cristãos é, ainda que vivamos bombardeados por falsos valores mundanos, conseguir viver a realidade e os benefícios do Reino de Deus aqui mesmo nessa terra. Jesus disse que “o reino de Deus está entre nós” (Lucas 17:10-21), ou seja, é possível desfrutar aqui e agora dos privilégios de sermos cidadãos do Seu Reino.

Ao longo de toda a palavra vemos que quanto mais cheios de Deus estivermos, tanto mais serão reais os efeitos do seu Reino em nossas vidas. Há várias maneiras de sermos cheios de Deus, e nos alimentarmos dEle. Jesus também disse que “a sua comida era fazer a vontade do Pai” (João 4:34), ou seja, havia uma intimidade tal dEle com o Pai a ponto de ser seu alimento, ou sustento para a sua vida. “E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.” (Lucas 4.4)

A bíblia nos ensina várias maneiras de sermos cheios de Deus, e de nos alimentarmos dEle, por exemplo: pela oração, pela adoração, pela leitura e meditação em Sua palavra e também através de canções. A experiência de ser cheio de Deus não é um ato isolado e único, mas um ato contínuo, a cada dia, cada hora e cada minuto. Efésios 5:18 -20 diz: “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;”. Esse texto nos deixa claro que através de canções inspiradas por Deus podemos ser cheios dEle, ou seja, as canções podem ser um canal de Deus para nos alimentar espiritualmente.

A música cristã pode e deve ser usada como uma fonte de alimento, ou então será simplesmente um entretenimento. O que vai dizer se ela cumpre uma função ou outra está diretamente ligado a quem a compôs, e como essa composição é apresentada ao público. Se alguém escreve uma canção com a intenção de torna-la popular, com objetivos mercantis, ou se um cantor se apresenta em eventos, vídeos ou mesmo grava canções com um coração de se tornar um astro da música cristã, então a gênese de sua criação ou de sua interpretação está no entretenimento e em fazer uma carreira profissional musical no meio cristão. Tudo isso nasce no coração da pessoa e depois flui dela para os demais. O alvo é chamar a atenção para si e para a sua música.

Ao contrário disso, quando alguém que realmente entende e deseja que Deus use suas canções como alimento, a pessoa sabe que tudo começa com uma busca intensa por Deus, sabe também que suas canções surgem como fruto desse relacionamento. Então quando este se apresenta publicamente em cultos, eventos, vídeos ou mesmo em gravações, o seu desejo e total entrega é para que Deus o use como um canal para alimentar as pessoas, e isso torna-se parte de sua missão. Quando isso acontece temos uma oportunidade de sermos alimentados por Deus e cheios do seu Espírito Santo. Tal pessoa tem uma missão dada por Deus e seu desejo é cumprir essa missão, de ser um canal de alimento. A ênfase é servir a Deus, servir a sua igreja e pregar o evangelho.

O entretenimento não alimenta. Se for de qualidade talvez traga uma diversão apenas, mas como todo entretenimento torna-se rapidamente algo saturado e sem sentido. Está sempre buscando algo inovador, se moldadando para se manter no topo e continuar atraindo a atenção de um público. O entretenimento torna-se desinteressante rapidamente. Assim acontece com um filme, um programa de TV, um show, etc. Se não for renovado e apresentado uma nova edição ele perde a sua audiência. A frase “ o show tem que continuar” ilustra muito bem isso. Se não houver algo novo o show vai parar. Algo evidente quando somos expostos a canções que são apenas entretenimento é que saímos dessa experiência sem a mínima sensação de que houve uma manifestação da presença de Deus, não fomos desafiados a amá-lo mais e a mudar algum aspecto de nossas vidas, ao contrário houve apenas um momento de diversão.

O alimento não é entretenimento, ou seja, quando estamos expostos a canções que cumprem a função de nos alimentar espiritualmente, temos o sentimento de que Deus estava ali presente, se movendo, nos enchendo, fazendo algo dentro de nós. Somos desafiados a mudar de vida, a nos chegar mais perto dEle, nos dedicar mais a Ele, a ama-lo mais. Somos expostos a uma experiência real do Seu Reino e expostos a seus efeitos: justiça, paz e alegria. É impressionante saber que a justiça no Reino de Deus é primeiramente remidora e transformadora, ou seja, “a misericórdia triunfa sobre o juízo” (Tiago 2:13). Assim estar exposto à justiça de Deus nos leva ao arrependimento e mudança de vida. Um ambiente de entretenimento e diversão não nos entrega essa fantástica oportunidade, mas um ambiente musical onde o alimento espiritual é o real propósito, nos traz essas oportunidades marcantes de mudança de vida, e de uma aproximação maior de Deus. A bíblia nos diz que “ somos transformados de glória em glória” (II Coríntios 3:18). O alimento não precisa ficar se reinventando, procurando subterfúgios para atrair um público. Assim como no mundo natural, onde o alimento sempre é, foi e será o mesmo, ou seja, uma maçã foi, é, e sempre será uma maçã, não precisa mudar de forma ou sabor para continuar sendo apreciada. Assim também no mundo espiritual, as canções que nos alimentam espiritualmente não vivem uma crise de aceitação e precisam criar maneiras novas para divertir, simplesmente porque não são objetos de diversão, mas de alimento espiritual e trazem em si as propriedades de um alimento.

Aqueles que desejam “seguir e prosseguir em conhecer ao Senhor “ (Oséias 6:3) e a cada dia, cada instante ser mais cheios dEle, precisam atentar para essa realidade atual, ou em muitos casos se frustrarão quando ao buscar ser cheio de Deus através de canções, se deparam com algo e com alguém que simplesmente foi concebido para entreter e não para alimentar. É fundamental fazer essa distinção e selecionar o que realmente nos alimenta.

O nosso desejo, desde que começamos nosso trabalho com a música cristã foi de identificar irmãos vocacionados por Deus, para que fossem esse canal por onde Ele pudesse alimentar Seu povo. Nosso coração é de abençoar a igreja do nosso Senhor Jesus e dispor nossas vidas para que Ele nos transforme, nos encha e nos use.

Em Cristo
Nelson Tristão
Onimusic
Som Que Alimenta
 



Newsletter

Receba em seu email novidades sobre a gravadora e nossos ministros associados.